Criada em 19/05/2020 às 19h19 | Agronegócio

Presente no Tocantins, indústria aposta no mercado do agro e lança unidade de negócios exclusiva de soluções agrícolas

A produção de insumos agrícolas da companhia está distribuída em dez fábricas no Brasil, inclusive em Xambioá, na região norte do Estado do Tocantins. O plano da unidade de negócios da Viter é aumentar o seu portfólio de soluções agrícolas e se firmar como o melhor parceiro do agricultor.

Imagem
Os produtos da nova marca atuam em todas as camadas do solo, com quatro linhas de corretivos e nutrientes (foto: Votorantim Cimentos/Divulgação)


Clique no ícone acima e assista ao programa

O mercado de insumos agrícolas tem o desafio de atender o crescente setor agro brasileiro, não só com volume, mas também com novas tecnologias. A constante necessidade de produzir mais, sem aumentar, na mesma proporção, as fronteiras agrícolas, é uma preocupação da agricultura moderna. O manejo correto do solo é um dos focos nesse cenário. Por meio da calagem, por exemplo, é possível reduzir a acidez da terra e melhorar a circulação de água, o que consequentemente melhora o aproveitamento dos nutrientes pelas plantas, resultando em alimentos de boa qualidade para os consumidores, de forma sustentável.

Diante da importância do setor agropecuário, empresas de grande porte voltam suas estratégias de crescimento para esse segmento. É o caso da Votorantim Cimentos. A empresa lançou uma nova unidade de negócios voltada para mercado agro e apresenta a Viter, nova marca da sua unidade de negócios de insumos agrícolas. A nova identidade reforça a estratégia da companhia de ampliar a sua atuação no agronegócio, aproximando-se ainda mais do produtor rural brasileiro.

Sem o cuidado constante com o solo, o potencial produtivo não acontece. Daí surgiu o propósito da Viter: despertar e perpetuar o potencial máximo do solo. Seus produtos têm origem garantida, corrigem a acidez do solo, promovem a liberação de nutrientes em profundidade, proporcionam maior aeração e favorecem o desenvolvimento das raízes. Viter também disponibiliza assistência técnica para análise e entendimento do solo, tanto na aplicação quanto na compreensão das tendências.

Trabalhando com o já consolidado Calcário Agrícola, a Votorantim Cimentos vem investindo mais fortemente no mercado agro desde 2016. Atualmente, a empresa é líder na comercialização de calcário agrícola no Brasil e a única empresa com presença nacional.

O plano da unidade de negócios da Viter é aumentar o seu portfólio de soluções agrícolas e se firmar como o melhor parceiro do agricultor. Os produtos da nova marca atuam em todas as camadas do solo, com quatro linhas de corretivos e nutrientes:

Calcário Itaú é referência em alta pureza, eficiência e economia para renovar o potencial produtivo do solo.

Gesso Itaú condiciona o solo e nutre as camadas mais profundas do perfil.

Cal fértil acelera a renovação do solo, com imediata disponibilidade de alto teor de Cálcio e Magnésio. Possui alto teor de nutrientes e pode ser aplicado no pré-plantio, pós-plantio e cobertura.

Optmix, partindo dos seus produtos principais é o lançamento de Viter, otimiza o potencial produtivo do solo em uma única aplicação com Cálcio, Magnésio e Enxofre, proporcionando praticidade e eficiência.

INVESTIMENTOS E PRESENÇA NACIONAL

A produção de insumos agrícolas da companhia está distribuída em dez fábricas no Brasil. Nas regiões Norte e Centro-Oeste, a unidade de negócios Viter está presente nas cidades de Nobres (MT), Xambioá (TO) e Sobradinho (DF) e, no Nordeste, em Ouricuri (PE). A região Sudeste é abastecida pelas fábricas de Itapeva (SP), Salto de Pirapora (SP), Itaú de Minas (MG) e Paracatu (MG). Na região Sul, as unidades produtivas estão em Rio Branco do Sul (PR) e Pinheiro Machado (RS).

No ano passado, a empresa anunciou um plano de investimentos de R$ 200 milhões para os próximos cinco anos, incluindo o desenvolvimento de novos produtos e o aumento da capacidade de produção, que subiu de 3,3 milhões de toneladas/ano em 2019 para as atuais 4,3 milhões de toneladas/ano de insumos agrícolas, comercializados com as marcas Calcário Itaú, Cal fértil e Gesso Itaú.

Em 2019, a Votorantim Cimentos concluiu a construção de uma nova linha de produção de calcário agrícola em Nobres (MT), ampliando a capacidade de produção de insumos agrícolas da unidade de 250 mil para 1 milhão de toneladas por ano. Com a ampliação, a unidade de Nobres (MT) tornou-se uma das maiores em produção de insumos agrícolas no Brasil, ao lado da unidade de Itaú de Minas (MG), que também possui capacidade de produção de 1 milhão de toneladas por ano. A fábrica de Nobres (MT) recebeu investimentos de R$ 42 milhões para a linha de calcário agrícola convencional.

Adicionalmente, a empresa capacitou a fábrica para produzir dois novos produtos: a linha Optmix e o calcário filler, que é o calcário de alta performance.

Para 2020, a capacidade produtiva terá um adicional superior a 1 milhão de toneladas: 600 mil toneladas de fertilizantes minerais mistos -- 200 mil ton. em Nobres (MT), 200 mil ton. em Xambioá (TO) e 200 mil ton. em Itapeva (SP) -- e 470 mil toneladas de calcário -- 350 mil ton. em Itaú de Minas (MG) e 120 mil ton. em Xambioá (TO).

A área de insumos agrícolas tem grandes sinergias com a operação de cimentos, pois permite o melhor aproveitamento dos recursos minerais e infraestrutura, além do compartilhamento de distribuição logística.

VOTORANTIM

Fundada em 1933, a Votorantim Cimentos é, hoje, uma das maiores empresas globais do setor. O portfólio de materiais de construção vai além dos cimentos e inclui concretos, argamassas e agregados. A companhia também atua nas áreas de insumos agrícolas, gestão de resíduos e coprocessamento. São quase 12 mil empregados e uma receita líquida de R$ 13 bilhões em 2019. As unidades da Votorantim Cimentos estão estrategicamente próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e presente em dez países, além do Brasil: Argentina, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Luxemburgo, Marrocos, Tunísia, Turquia e Uruguai. Se no passado a Votorantim Cimentos tinha orgulho de ter contribuído para o desenvolvimento e industrialização do país, hoje a empresa constrói o futuro com parcerias, diversidade, inovação e sustentabilidade, sempre focada em seu propósito: a vida é feita para durar. Mais informações em www.votorantimcimentos.com.br (Da Assessoria de Imprensa)

 

 

 

  

 

Somadas, riquezas produzidas pelo campo tocantinense devem alcançar montante de R$ 9,8 bilhões neste ano de 2020

CLIQUE AQUI E VEJA OS NÚMEROS DETALHADOS DO VBP DO TOCANTINS 

Diferente da tendência nacional, que prevê queda, estimativa da safra de grãos do Tocantins é ainda maior, aponta Conab

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Clique aqui e veja o que foi publicado sobre números do VBP do Tocantins e do Brasil

Ação solidária e balanço de exportação de carne são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

União de produtores, segmentos da sociedade e iniciativa de empresa do agro abre leitos hospitalares no Tocantins

CLIQUE AQUI E OUÇA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO

VEJA TAMBÉM 

Plataforma digital com dados espaciais da região do Matopiba será útil nas ações de extensão rural e assistência técnica

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A FRONTEIRA AGRÍCOLA DO MATOPIBA

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

 

 

CLIQUE AQUI E LEIA O QUE FOI PUBLICADO SOBRE O CORONAVÍRUS 



 

 

“Apesar dos esforços, comunicação do agro não conseguiu chegar na população e mostrar a importância do segmento”, diz ministra

Agro deve tratar comunicação como 'insumo' e mostrar à sociedade sua importância, dizem produtor e profissionais

Agricultor brasileiro é um dos que menos desmata no mundo

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Valor bruto da produção agropecuária do Estado do Tocantins neste ano deve ser de mais de R$ 9,7 bilhões

 

 

Norte Agropecuário no Rádio aborda queda no abate de gado e balanços econômicos de culturas agrícolas

“Não há políticas públicas de retenção dos bovinos; frigoríficos poderiam estar trabalhando na plenitude da capacidade”, diz Sindicarnes-TO

César Halum dá detalhes sobre realização da Agrotins 2020 de forma virtual 

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

Após retração de 3,2% em 2019, Tocantins registra queda de 15% no abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano de 2020

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

IBGE aponta queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano passado

Em três anos, mais de 2 milhões de cabeças de gado “somem” do Tocantins; Estado deixa de arrecadar meio bilhão de reais

Frigoríficos brasileiros abateram 1,019 milhão de bovinos em março; queda é de 47%, aponta Mapa

Recorde de exportações e análise do mercado do boi no Tocantins são destaques do Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM

“Sumiço” de 2 milhões de bovinos, produtividade do milho e técnica para plantio de mandioca são destaques no rádio

Técnica desenvolvida para piscicultura e reabertura do comércio da carne para EUA são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

 

 




Reajuste do ICMS dos frigoríficos vai estourar no produtor e no consumidor, diz presidente do Sindicato Rural de Araguaína

AGROVERDADES: CLIQUE AQUI E ASSISTA O FÓRUM DO AGRONEGÓCIO DO TOCANTINS, EM ARAGUAÍNA

Aumento da alíquota do ICMS para frigoríficos transformará carne do Tocantins na mais cara do Brasil, aponta especialista

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Pecuaristas pedem adiamento por 150 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS para frigoríficos do Estado do Tocantins vai impactar o produtor, afirma pecuarista da região de Araguaína

“Cadeia da carne não se nega a pagar imposto, mas governo não pode virar monstro devorador de indústria”, afirma diretor do SRA

Revogação de benefícios a frigoríficos gera “alto custo” ao setor, impacta no abastecimento e formação de preço, diz juiz

Sem acordo: Governo propõe alíquota de 4,5%, mas frigoríficos querem 1,8%; comissão será criada para estudar o tema 

 








 CLIQUE NOS LINKS ABAIXO E SAIBA MAIS SOBRE O TEMA 

Fator coronavírus: SRA reforça pedido de diálogo com governo e defende redução de impostos para baratear preço da carne

Fieto pede ao governo do Estado suspensão de aumento de ICMS para frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS dos frigoríficos pode gerar “fantasma do desemprego”, alta do preço da carne e desabastecimento, diz SRA

CLIQUE AQUI E VEJA A CÓPIA DO COMUNICADO ENVIADO PELO SRA À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

VEJA NESTE LINK A CÓPIA DA SOLICITAÇÃO DA FAET AO GOVERNO DO TOCANTINS

Produtor pagará a conta, afirma vice-presidente do Sindicato Rural de Araguaína sobre aumento do ICMS para frigoríficos

Pecuaristas pedem adiamento por 120 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário