Criada em 04/05/2020 às 21h52 | Pesquisa

Com agilidade e precisão, software auxilia diagnóstico virtual de problemas no cultivo de maçã, morango e pêssego

“A rapidez na identificação de um problema na cultura pode ser a salvação para uma grande perda na produção do pomar, minimizando assim os danos”, alerta o engenheiro-agrônomo Flávio Bello Fialho, da Embrapa, responsável pelo desenvolvimento do Uzum. Por isso, foi com o objetivo de agiliza

Imagem
O Uzum permite rapidez na identificação de um problema na cultura, minimizando, assim, possíveis perdas na produção do pomar (Foto: Viviane Zanella/Embrapa)






Viviane Zanella
DE BENTO GONÇALVES (RS)

Cientistas desenvolveram um software interativo que auxilia no diagnóstico rápido das principais doenças, pragas e questões nutricionais das culturas da maçã, do morango e do pêssego. Denominado Uzum, o sistema é gratuito, conta com inteligência artificial e foi desenvolvido pela Embrapa para apoiar técnicos e produtores dessas cadeias produtivas.

A partir do sucesso do Uzum Web Uva, lançado em 2011, a Empresa de pesquisa decidiu ampliar a plataforma e trabalhar no desenvolvimento do sistema para outras culturas. Agora, também estão disponíveis gratuitamente para acesso on-line o Uzum Web Maçã, Uzum Web Morango e o Uzum Web Pêssego. Todos disponíveis na página da Embrapa.

“A rapidez na identificação de um problema na cultura pode ser a salvação para uma grande perda na produção do pomar, minimizando assim os danos”, alerta o engenheiro-agrônomo Flávio Bello Fialho, pesquisador em modelagem de sistemas da Embrapa Uva e Vinho (RS), responsável pelo desenvolvimento do Uzum. Por isso, foi com o objetivo de agilizar o diagnóstico que ele desenvolveu o sistema.

Lançamento comemorativo

O lançamento do novo pacote Uzum compõe as comemorações do aniversário de 47 anos da Embrapa, que este ano, excepcionalmente, será virtual. Veja a programação completa aqui.

Trabalho coletivo

Para cada uma das fruteiras, foram selecionados pesquisadores especialistas nas áreas de pragas, doenças e distúrbios fisiológicos, que integraram o projeto de pesquisa Sistemas especialistas para diagnóstico de doenças, pragas e distúrbios nutricionais e fisiológicos em fruteiras de clima temperado, que contou com recursos da Embrapa.

“Reunimos os especialistas e organizamos uma base de conhecimento, a partir da qual foram definidas regras para processar as respostas do usuário e chegar a um diagnóstico”, sintetiza o pesquisador, frisando a importância das parcerias nesse projeto. As versões para morango e pêssego foram resultado do trabalho conjunto com a Embrapa Clima Temperado (RS). Já o Uzum Web Uva contou com a colaboração do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS).

Bernardo Ueno, pesquisador da Embrapa Clima Temperado, foi um dos especialistas responsáveis por compartilhar os seus conhecimentos para a correta identificação das doenças na culturas do morangueiro e do pessegueiro. Para ele, a escolha das fotos e as descrições que compõem o Uzum, reunindo o conhecimento técnico são uma excelente fonte de informações e consultas, que irão auxiliar os técnicos e produtores. Mas ele chama a atenção para que "além desse diagnóstico rápido, é importante que em muitos casos haverá a necessidade de um diagnóstico laboratorial e a consulta a um técnico especializado. Só assim teremos o diagnóstico definitivo e a confirmação da causa do problema e as suas possíveis soluções".

Respondendo a perguntas-chave e comparando os sintomas do pomar com as fotos-padrão exibidas pelo Uzum, o usuário interage com o sistema a fim de chegar a uma identificação de possíveis causas do problema observado ao terminar o questionário. O sistema também oferece o acesso às recomendações específicas em uma página informativa, com detalhes dos sintomas, estratégias de prevenção, controle e manejo e lista de links de publicações que fornecem informações adicionais detalhadas sobre cada um dos distúrbios.

Atualmente, o sistema é capaz de diagnosticar 22 distúrbios da maçã, 22 do pêssego e 23 do morango. Esses números estão em constante atualização para expansão da base de dados, a exemplo do Uzum-Uva, que hoje já disponibiliza 53 distúrbios.

Aprovação de técnicos

Reunir em um único local pragas, doenças e distúrbios nutricionais é o diferencial do sistema, na visão do extensionista rural Luciano Ilha, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Sul (Emater-RS/Ascar), em Nova Petrópolis. Ele auxiliou na validação da versão para o morango e acredita que o sistema será uma excelente ferramenta para os pequenos produtores. “Tenho acompanhando o início de muitas novas plantações na região e para os produtores com pouca experiência na cultura, o Uzum será um bom começo, pois as fotos estão excelentes e facilitam a identificação”, garante.

Outra aposta de Ilha é que o envolvimento da Embrapa irá possibilitar uma atualização frequente do sistema, contemplando a inclusão rotineira de problemas secundários e novos desafios do cultivo e o seu manejo, ampliando as possibilidades do diagnóstico atual.

“O Uzum é uma ferramenta de uso fácil, amigável e sem dúvida será uma ótima alternativa para auxiliar o produtor no dia a dia da propriedade”, declara o engenheiro-agrônomo Heleno Facchin, diretor-técnico da Associação dos Produtores de Frutas de Pinto Bandeira (Asprofruta). Facchin destaca que o sistema de diagnose virtual não substitui a assistência técnica, mas é uma boa alternativa a ser utilizada pelos produtores como um indicativo.
Acesso do pequeno produtor à tecnologia de ponta

Tecnologia será adaptada para smartphone e tablet

Até o fim de 2020, os usuários do Uzum poderão utilizar o aplicativo para celular e tablet. Com isso, os pesquisadores pretendem possibilitar o acesso off-line e oferecer uma boa visualização no campo. Fialho planeja disponibilizá-lo com acesso gratuito no Google Play para sistemas Android.

“A necessidade do acompanhamento de um técnico na propriedade, que sabe e conhece o histórico da área e as suas particularidades, segue valendo, mas na ausência desse profissional, que é a realidade das pequenas propriedades, o Uzum é uma boa alternativa”, avalia Facchin. Ele destaca a oportunidade de o setor público oferecer uma ferramenta digital sem custos, compartilhando o conhecimento da sua equipe e dando acesso à tecnologia de ponta para os pequenos e grandes produtores. “É uma boa solução para os produtores que não têm condições de pagar o técnico de forma contínua, agilizando o diagnóstico e reduzindo as perdas da produção”.

Ele também destaca o benefício das atualizações constantes e da retroalimentação a partir das peculiaridades de cada safra, o que irá expandir o banco de informações mantido pela pesquisa e se tornar uma fonte de consulta para o setor produtivo. A Asprofruta participará do aperfeiçoamento do Uzum Web Pêssego. A associação congrega os produtores na denominada Capital Estadual do Pêssego, Pinto Bandeira, município na Serra Gaúcha que destina 1.050 hectares ao plantio da fruta, cultivada por cerca de 495 famílias.

Como utilizar

A equipe desenvolvedora buscou simplicidade no processo de funcionamento. Não é necessário nenhum cadastro, bastando acessar o endereço, selecionar a fruteira e concordar com os termos de uso. O sistema é intuitivo e amigável: basta selecionar a melhor resposta às perguntas que forem aparecendo, com base nas fotografias, que ajudam na escolha.

Ao término, o usuário terá acesso a uma lista dos possíveis distúrbios e a sua probabilidade de ocorrência, podendo também acessar uma página com a descrição, sintomas e bibliografia associada a cada problema.

É possível também acessar a lista completa dos distúrbios que integram cada um dos sistemas, lista com publicações acessíveis on-line e uma página de ajuda.

Sistema também é ferramenta de ensino

O Uzum Web Uva, o veterano dos sistemas, além de ser utilizado como ferramenta para o diagnóstico de doenças no campo por técnicos e produtores, ganhou uma nova funcionalidade ao se tornar instrumento de ensino. No Campus Bento Gonçalves do Instituto Federal do Rio Grande do Sul, os alunos do Curso de Tecnologia em Viticultura e Enologia e do Curso de Agronomia têm uma aula dedicada ao software nas disciplinas de Fitopatologia e Fitossanidade.

“É uma excelente ferramenta para treinar a diagnose virtual e os alunos aprendem muito. Todas as informações estão concentradas lá, desde os sintomas, manejo e bibliografia complementar”, comenta Marcus Almança, um dos autores do Uzum Web Uva e professor da área de fitopatologia do IFRS. Ele destaca que além de aprenderem com o Uzum, os estudantes irão utilizá-lo em sua prática profissional. A expectativa é que os novos sistemas lançados também sejam utilizados na formação dos estudantes. (Da Embrapa Uva e Vinho)

 


VEJA TAMBÉM 

Plataforma digital com dados espaciais da região do Matopiba será útil nas ações de extensão rural e assistência técnica

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A FRONTEIRA AGRÍCOLA DO MATOPIBA

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

 

 

CLIQUE AQUI E LEIA O QUE FOI PUBLICADO SOBRE O CORONAVÍRUS 



 

 

“Apesar dos esforços, comunicação do agro não conseguiu chegar na população e mostrar a importância do segmento”, diz ministra

Agro deve tratar comunicação como 'insumo' e mostrar à sociedade sua importância, dizem produtor e profissionais

Agricultor brasileiro é um dos que menos desmata no mundo

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Valor bruto da produção agropecuária do Estado do Tocantins neste ano deve ser de mais de R$ 9,7 bilhões

 

 

Norte Agropecuário no Rádio aborda queda no abate de gado e balanços econômicos de culturas agrícolas

“Não há políticas públicas de retenção dos bovinos; frigoríficos poderiam estar trabalhando na plenitude da capacidade”, diz Sindicarnes-TO

César Halum dá detalhes sobre realização da Agrotins 2020 de forma virtual 

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

Após retração de 3,2% em 2019, Tocantins registra queda de 15% no abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano de 2020

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

IBGE aponta queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano passado

Em três anos, mais de 2 milhões de cabeças de gado “somem” do Tocantins; Estado deixa de arrecadar meio bilhão de reais

Frigoríficos brasileiros abateram 1,019 milhão de bovinos em março; queda é de 47%, aponta Mapa

Recorde de exportações e análise do mercado do boi no Tocantins são destaques do Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM

“Sumiço” de 2 milhões de bovinos, produtividade do milho e técnica para plantio de mandioca são destaques no rádio

Técnica desenvolvida para piscicultura e reabertura do comércio da carne para EUA são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

 

 





Reajuste do ICMS dos frigoríficos vai estourar no produtor e no consumidor, diz presidente do Sindicato Rural de Araguaína

AGROVERDADES: CLIQUE AQUI E ASSISTA O FÓRUM DO AGRONEGÓCIO DO TOCANTINS, EM ARAGUAÍNA

Aumento da alíquota do ICMS para frigoríficos transformará carne do Tocantins na mais cara do Brasil, aponta especialista

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Pecuaristas pedem adiamento por 150 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS para frigoríficos do Estado do Tocantins vai impactar o produtor, afirma pecuarista da região de Araguaína

“Cadeia da carne não se nega a pagar imposto, mas governo não pode virar monstro devorador de indústria”, afirma diretor do SRA

Revogação de benefícios a frigoríficos gera “alto custo” ao setor, impacta no abastecimento e formação de preço, diz juiz

Sem acordo: Governo propõe alíquota de 4,5%, mas frigoríficos querem 1,8%; comissão será criada para estudar o tema 

 








 

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO E SAIBA MAIS SOBRE O TEMA 

Fator coronavírus: SRA reforça pedido de diálogo com governo e defende redução de impostos para baratear preço da carne

Fieto pede ao governo do Estado suspensão de aumento de ICMS para frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS dos frigoríficos pode gerar “fantasma do desemprego”, alta do preço da carne e desabastecimento, diz SRA

CLIQUE AQUI E VEJA A CÓPIA DO COMUNICADO ENVIADO PELO SRA À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

VEJA NESTE LINK A CÓPIA DA SOLICITAÇÃO DA FAET AO GOVERNO DO TOCANTINS

Produtor pagará a conta, afirma vice-presidente do Sindicato Rural de Araguaína sobre aumento do ICMS para frigoríficos

Pecuaristas pedem adiamento por 120 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário