Criada em 14/04/2020 às 11h19 | Pecuária

Após retração de 3,2% em 2019, Tocantins registra queda de 15% no abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano de 2020

Conforme o levantamento exclusivo obtidos pelo Norte Agropecuário, de janeiro a março deste ano foram abatidos 210.563 cabeças de gado no Tocantins. Já no mesmo período do ano passado, 248.758 animais. Foram exatamente 37.313 bovinos a menos, o que resulta em percentual de 15,3%.

Imagem
Recentemente, o Norte Agropecuário divulgou resultados de estudo do IBGE que apontou queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano de 2019 (foto: Mapa/Divulgação)


Clique no ícone acima e ouça o programa

Depois de registrar uma queda de 3,2% em todo 2019, o abate de bovinos no Estado do Tocantins contabiliza mais um resultado negativo: retração de 15% nos três primeiros meses de 2020.

Dados obtidos pelo Norte Agropecuário apontam que de janeiro a março deste ano foram abatidos 210.563 cabeças de gado. Já no mesmo período do ano passado, 248.758 animais. Foram exatamente 37.313 bovinos a menos, o que resulta em percentual de 15,3%. 

A conta leva em consideração os principais frigoríficos do Estado, que têm selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que podem vender para outros Estados e exterior, e são filiados ao Sindicato das Indústrias Frigoríficas de Carnes Bovinas, Suínas, Aves, Peixes e Derivados do Estado do Tocantins (Sindicarnes).

Ao fazer a comparação mês a mês, é possível constatar que houve queda gradativa em 2020 em relação ao mesmo período de 2019. Exemplos: em janeiro deste ano houve 72.705 abates. Já 2019 foram 91.014. Em fevereiro de 2020 foram contabilizados 69.688 contra 80.556 em 2019. Já no mês passado houve 68.170. E março de 2019 foram 77.188.

Os números trazem impactos, por exemplo, de duas situações vividas pelo setor de frigoríficos nos últimos meses: evasão do gado do Estado e a desaceleração da produção por causa da pandemia do novo coronavírus que afetou todo o setor produtivo no campo e na cidade. 

SAIBA MAIS: 

IBGE aponta queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano passado

Em três anos, mais de 2 milhões de cabeças de gado “somem” do Tocantins; Estado deixa de arrecadar meio bilhão de reais

Frigoríficos brasileiros abateram 1,019 milhão de bovinos em março; queda é de 47%, aponta Mapa

EM 2019

Recentemente, o Norte Agropecuário divulgou resultados do estudo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) denominado “Estatística da Produção Pecuária”, que apontou queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins.

Conforme tabelas de resultados anuais analisadas pelo Norte Agropecuário, no ano passado foram abatidos 1.032.557 animais, ou seja, 34.427 a menos que no ano anterior, que registrou 1.066.984.

Já ao avaliar o peso das carcaças, segundo o IBGE, houve aumento de 2,8%. Isso porque em 2019 o abate compreendeu 266.337 toneladas. Em 2018 foram 259.158 toneladas. Ao analisar os dados do 4º trimestre de 2019, o IBGE aponta que a redução foi maior: o Tocantins abateu 54,6 mil cabeças de gado a menos.

SAIBA MAIS: 

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Opção da China pela soja dos EUA e suspensão de negócios com Brasil pode trazer impactos na liquidez, diz Ricardo Khouri

Brasil vendeu US$ 62,87 bilhões em produtos para a China; já o Tocantins comercializou US$ 627,72 milhões ao país

Recorde de exportações e análise do mercado do boi no Tocantins são destaques do Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM

“Sumiço” de 2 milhões de bovinos, produtividade do milho e técnica para plantio de mandioca são destaques no rádio

Técnica desenvolvida para piscicultura e reabertura do comércio da carne para EUA são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

Churrasco é tema especial do Norte Agropecuário no Rádio; cortes nobres, comércio e retorno ao produtor são abordados



Reajuste do ICMS dos frigoríficos vai estourar no produtor e no consumidor, diz presidente do Sindicato Rural de Araguaína

AGROVERDADES: CLIQUE AQUI E ASSISTA O FÓRUM DO AGRONEGÓCIO DO TOCANTINS, EM ARAGUAÍNA

Aumento da alíquota do ICMS para frigoríficos transformará carne do Tocantins na mais cara do Brasil, aponta especialista

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Pecuaristas pedem adiamento por 150 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS para frigoríficos do Estado do Tocantins vai impactar o produtor, afirma pecuarista da região de Araguaína

“Cadeia da carne não se nega a pagar imposto, mas governo não pode virar monstro devorador de indústria”, afirma diretor do SRA

Revogação de benefícios a frigoríficos gera “alto custo” ao setor, impacta no abastecimento e formação de preço, diz juiz

Sem acordo: Governo propõe alíquota de 4,5%, mas frigoríficos querem 1,8%; comissão será criada para estudar o tema

 








 

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário