Criada em 28/10/2019 às 17h10 | Grãos

Plantio de soja no Estado do Tocantins já atingiu 15%; negócios feitos para a próxima safra chegam a 65% da produção

Números são da Aprosoja-TO, que foram fornecidos a pedido do Norte Agropecuário. “O plantio vai engrenar mesmo a partir dos próximos dias, com o período de chuva por todo o Estado. Semana passada choveu em algumas regiões apenas”, afirmou Maurício Buffon.

Imagem
Segundo a Aprosoja-TO, 65% da produção já foi comercializada para a próxima safra. “Acredito que vai avançar com as condições melhores do clima e mais próximo da colheita”, afirmou Buffon (foto: SeagroTO/Arquivo)

O plantio de soja no Tocantins já atingiu o percentual de 15% total da área prevista para a oleaginosa. A estimativa foi feita pelo presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Tocantins (Aprosoja-TO), Maurício Buffon, a pedido do Norte Agropecuário. “O plantio vai engrenar mesmo a partir dos próximos dias, com o período de chuva por todo o Estado. Semana passada choveu em algumas regiões apenas”, afirmou. A área plantada no Tocantins na safra 2018/2019 será de 1.444,91 mil hectares, um acréscimo de 3,0% em relação a 2017/2018. 

A expectativa é que a partir de novembro o plantio tenha ritmo maior. Em relação aos negócios, Buffon informou que 65% da produção já foi comercializada para a próxima safra. “Acredito que vai avançar com as melhores condições climáticas e mais próximo da colheita”, comentou.

A safra de grãos 2018/2019 deve atingir 4,8 mil toneladas no Tocantins, número 6% superior ao ciclo passado. A soja continua sendo destaque, com produção estimada em mais de 2,9 milhões de toneladas seguidas de milho que esse ano ultrapassa 1,1 milhão de toneladas, com destaque na segunda safra que tem produção estimada para mais de 990 mil toneladas, 86% superior em relação à safra passada. Os números são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

PELO BRASIL

O Cepea / Esalq (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada / Esalq / USP) divulgou estimativas nacionais. Como recentes, as luvas registradas no Brasil melhoraram a absorção de solo, favorecendo atividades de soja, de acordo com informações incluídas pelo Cepea. De modo geral, as alterações precipitadas na maior parte das regiões brasileiras nos próximos dias, ou que devem favorecer a sobrevivência do meio.

Na região norte de Mato Grosso e nas principais praças que também cultivam algodão (como Sapezal, Campo Verde e Campo Novo de Parecis), por exemplo, uma colheita do solo está boa. Esse cenário animou produtores, tendo em vista que o óleo de soja voltou a permanecer dentro da normalidade, ou que deve permitir o cultivo de algodão após a colheita da oleaginosa.

Quanto aos negócios, segundo pesquisadores do Cepea, mesmo com o nível pluviométrico maior, ainda há incertezas quanto ao volume produzido no safra 2019/20. Com isso, os sojicultores seguem retidos nas negociações, tanto no estoque da temporada 2018/19 quanto nos contratos a termo para 2020. (Com informações da Secom e do Cepea / Esalq)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário