Criada em 18/11/2020 às 12h18 | Equinos

Com mais cinco casos recentes, Estado do Tocantins contabiliza 13 equinos infectados com mormo somente neste ano de 2020

Os casos foram registrados no município de Filadelfia. Todos os animais que testaram positivo para a doença estão isolados e serão sacrificados na próxima semana, conforme determina a legislação sanitária.

Imagem


Clique no ícone acima e acompanhe o programa 
Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM


Clique no ícone acima e acompanhe a reportagem 



 

Welcton de Oliveira
DE PALMAS (TO)

O Governo do Tocantins, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) confirmou nesta quarta-feira, 18, mais cinco novos casos de mormo em equídeo, em três propriedades rurais, no município de Filadelfia. Todos os animais que testaram positivo para a doença estão isolados e serão sacrificados na próxima semana, conforme determina a legislação sanitária. Este ano já foram registrados 10 focos da doença com 13 animais infectados.

De acordo com a responsável pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos da Adapec, Isadora Mello Cardoso, todas as medidas sanitárias já foram realizadas pela Agência, inclusive os vínculos epidemiológicos. “O trabalho de investigação dos vínculos epidemiológicos é fundamental para o controle da doença no Estado, por isso, estamos adotando todas as medidas sanitárias necessárias nestas propriedades/focos,” destacou Isadora.

“Alertamos os produtores rurais para que fiquem atentos as exigências legais na hora de adquirir um animal, exigindo sempre todos os exames e também na movimentação de trânsito de animais, pois esta é uma das formas mais seguras de controle da doença,” apontou o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha.

PREVENÇÃO

Não existe vacina ou tratamento para o mormo. O produtor rural deve ficar atento, realizar os exames regularmente, já que a validade é de 60 dias, exigi-los ao comprar um animal, evitar que ele tenha contato direto com outros. Caso o dono do equídeo suspeite que ele esteja infectado deve isolá-lo e comunicar imediatamente a Adapec. No manuseio deve ter cuidado redobrado, pois a doença pode ser transmitida ao homem, o recomendado é utilizar luvas e máscaras, e evitar ao máximo que ele tenha contato com outros animais e humanos.

A Adapec está à disposição nas suas unidades em todo o Estado e disponibiliza ainda o 0800 63 11 22, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 14, para que os interessados tirem suas dúvidas e também denunciem trânsito clandestino de animais.

MORMO

O Mormo é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares). Nos equídeos, os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente (assintomática) na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade. (Da Adapec)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário