Criada em 12/08/2019 às 20h06 | Política brasileira

Governo ficou indignado com moratória da soja e convocará traiddings que querem passar por cima de leis, diz Aprosoja-TO

Afirmação é do presidente da Aprosoja Tocantins, Maurício Buffon, em entrevista ao programa Norte Agropecuário no Rádio. Há duas semanas, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, recebeu comitiva de sojicultores. O tema relacionado ao cerrado e Matopiba foi debatido no encontro.

Imagem
Maurício Buffon: "O governo está indignado com a possível moratória e vai convocar as traiddings. Vão questionar como assinam um documento e querem passar por cima das leis federais" (foto: Aprosoja-TO/Divulgação)


Clique no ícone acima e ouça a entrevista 

O presidente da Associação dos Produtores de Milho e Soja do Tocantins (Aprosoja-TO), Maurício Buffon, em entrevista ao Norte Agropecuário no Rádio que “o governo federal ficou indignado” com a ameaça de implantação da moratória da soja no cerrado e Matopiba. Há duas semanas, a comitiva de sojicultores esteve em audiência com membros do governo federal, como a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. O tema relacionado ao cerrado e Matopiba foi debatido nos encontros feitos também no Ministério das Relações Exteriores e Casa Civil.

LEIA: 

Aprosoja afirma ter apoio do governo federal contra ameaça da moratória da soja no cerrado e na região do Matopiba

Em manifesto, Aprosoja Brasil e de 16 Estados refutam tese de ONGs e garantem produção sem prejudicar cerrado no Matopiba

Ao programa de rádio do Norte Agropecuário, Buffon falou sobre os próximos passos relacionados ao tema: “As perspectivas são as melhores possíveis. O governo está indignado com a possível moratória e vai convocar as traiddings. Vão questionar como assinam um documento e querem passar por cima das leis federais. O governo chancelou a Carta de Palmas e vai fazer uma cobrança severa em cima das empresas”. Segundo ele, será marcada uma reunião no Ministério da Agricultura com as traiddings e o “recado vai ser passado”: “Empresas que trabalham no Brasil têm que respeitar as leis”.

CARTA DE PALMAS

Na agenda com a ministra, os membros da Aprosoja entregaram à Tereza Cristina a Carta de Palmas, um manifesto em defesa da produção sustentável no bioma cerrado no Matopiba. O documento foi idealizado após a realização do seminário “Soja Responsável – Produzindo Com Sustentabilidade Ambiental” no dia 15 de julho, na Assembleia Legislativa do Estado, em Palmas (TO).

VEJA TAMBÉM 

“Quarenta por cento da área do Matopiba é destinada a proteção e preservação da vegetação nativa”, diz supervisor da Embrapa

Produtores preservam mais de 219 milhões de hectares de suas propriedades, o que corresponde a R$ 2,4 trilhões em área

Dirigentes da Aprosoja mostram dados oficiais que comprovam que produtores protegem meio ambiente no Matopiba

Seminário em Palmas aborda aspectos socioeconômicos e ambientais da produção agrícola no cerrado e no Matopiba

“Se quer conhecer vegetação nativa no Brasil não vá a parques, visite uma propriedade rural, são eles que estão protegendo”

CONFIRMA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A APROSOJA

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário