Criada em 22/09/2020 às 12h22 | Política brasileira

Indignados, produtores rurais lamentam situação caótica de estrada e cobram do governo do Estado melhorias para a região

As críticas são contundentes. Há produtores que ameaçam deixar o Estado. Em anos anteriores, o grupo já chegou a pagar do próprio bolso serviços que são de responsabilidade e, obrigatoriamente, deveriam ser executados pelo Estado, que arrecada impostos para a finalidade.

Imagem


Clique no ícone acima e ouça a entrevista

A situação caótica da estrada estadual TO-020, entre Novo Acordo e Lizarda, na região central do Tocantins, gera revolta de produtores rurais. Indignados, eles lamentam o histórico da falta de ações na melhoraria do trecho para que possam escoar a produção. Em anos anteriores, o grupo já chegou a pagar do próprio bolso serviços que são de responsabilidade e, obrigatoriamente, deveriam ser executados pelo Estado, que arrecada impostos para a finalidade.

São, ao todo, 20 empreendedores rurais, boa parte deles associados à Associação de Produtores Rurais Sul do Rio Sono (Aprorios). Eles investem na região, geram emprego e movimentam a economia, mas esperam o mínimo da contribuição do Estado. E cobram também a pavimentação. O trecho da TO-020 é de terra. Em entrevista ao Norte Agropecuário no Rádio, o grupo apresenta vários argumentos sobre a necessidade de ações governamentais na infraestrutura.

Os relatos são de decepção com órgãos públicos, tristeza por terem dificuldade de atuar plenamente na produção e críticas à gestão atual do governo do Tocantins, bem como administrações anteriores. Outros empresários do campo alertam que, com o período de chuva que se aproxima, a situação tende a piorar.

OUTRO LADO

O Norte Agropecuário solicitou ao governo do Estado resposta aos questionamentos e reivindicação dos produtores. O Estado se posicionou por meio de nota:

"O Governo do Tocantins, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), informa que:

1- Os serviços de melhoramento do trecho da TO-020, entre Novo Acordo e Lizarda estão previstos para serem iniciados já no mês de outubro.

2- O atraso na realização dos serviços foi motivado pela necessidade de reprogramação do cronograma da Residência Rodoviária de Guaraí. Essa reprogramação foi causada pela redução das equipes, em decorrência da pandemia da Covid-19, e pela necessidade de manutenção de equipamentos.

3- As equipes técnicas da Ageto trabalham na captação de recursos que possibilitará a implementação das obras de infraestrutura asfáltica no trecho."

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário