Criada em 06/05/2020 às 00h53 | Comunicação

União de produtores, segmentos da sociedade e iniciativa de empresa do agro abre leitos hospitalares no Tocantins

Grupo empresarial que tem o agronegócio como uma de suas principais atividades doa área onde funcionou colégio agrícola para tratamento de moradores da região em município no norte do Tocantins. Iniciativa contou com ajuda de produtores rurais, empresários, instituições e entidades.

Imagem
Local onde funcionava o colégio agrícola em Arapoema abrigará 14 leitos para atendimento de pacientes do município e região (foto acima); o empresário Jeremias Demito (foto abaixo), ao Norte Agropecuário no Rádio, detalhou a iniciativa.

Esforços conjuntos de vários segmentos da sociedade, como produtores rurais, profissionais liberais, empresários, entidade assistencial, chancela do Ministério Público Estadual (MPE) e participação vital de uma empresa do agronegócio possibilitou a abertura novos leitos hospitalares em município localizado no norte do Tocantins. Em meio à pandemia do coronavírus, a iniciativa é um importante socorro aos moradores de Arapoema, município localizado a 383 km de Palmas (TO), na região norte do Estado.

 


Clique no ícone acima e ouça a entrevista

CLIQUE AQUI E LEIA O QUE FOI PUBLICADO SOBRE O CORONAVÍRUS 

São, ao todo, 14 novos leitos, que vão ser implantados onde funcionava o colégio agrícola que existia na cidade, foi criado e era mantido pela empresa tocantinense J. Demito, que possibilitava atendimento gratuito aos alunos. “São 14 leitos para média e baixa complexidade. Terá ar-condicionado e rede de oxigênio. Deve estar pronto em 15 dias. Estará disponível ao poder público ao consórcio de municípios vizinhos e ao governo do Estado”, informou Jeremias Demito, um dos sócios da empresa – ele dirige o empreendimento com o irmão, Jonas.

Em entrevista ao Norte Agropecuário, ele detalhou o trabalho da escola e a iniciativa de ceder o espaço para os leitos. “É um esforço da sociedade, empresários, fazendeiros, profissionais liberais, pessoas de corações generosos. É uma obra que nós entendemos de uma importância muito grande. Será muito útil”, complementou, ao destacar a participação do promotor de Justiça do município, Caleb Melo.

A ESCOLA

O grupo J. Demito nasceu como uma pequena mineradora em Riachão (MA), em 1985. Hoje é um dos mais importantes produtores de calcário e britas do norte e nordeste do Brasil. Foi em Riachão que o projeto social surgiu, com a criação do Centro Educacional Iracema Demito, uma escola agrícola gratuita com objetivo de qualificar os jovens nas práticas do campo, a vocação da região. Uma outra unidade foi criada em Arapoema, no Tocantins, que ofereceu suporte educacional e conhecimento na área agrícola para centenas de jovens.

Jeremias Demito explicou que os trabalhos da escola foram paralisados por falta de interessados em ingressar na unidade. Em um dos anos, por exemplo, 20 alunos começaram o curso, mas apenas três concluíram. A maior parte dos jovens optava, na oportunidade, por programas federais. E a empresa, unicamente por falta de alunos, decidiu suspender as atividades e vinha discutindo a melhor maneira para a utilização do espaço. Vários contatos foram feitos. A Associação de Voluntários de Arapoema, juntamente com outras entidades, encampou a ideia e a doação será feita.

 


VEJA TAMBÉM 

Plataforma digital com dados espaciais da região do Matopiba será útil nas ações de extensão rural e assistência técnica

LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE A FRONTEIRA AGRÍCOLA DO MATOPIBA

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

 

 

CLIQUE AQUI E LEIA O QUE FOI PUBLICADO SOBRE O CORONAVÍRUS 



 

 

“Apesar dos esforços, comunicação do agro não conseguiu chegar na população e mostrar a importância do segmento”, diz ministra

Agro deve tratar comunicação como 'insumo' e mostrar à sociedade sua importância, dizem produtor e profissionais

Agricultor brasileiro é um dos que menos desmata no mundo

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Valor bruto da produção agropecuária do Estado do Tocantins neste ano deve ser de mais de R$ 9,7 bilhões

 

 

Norte Agropecuário no Rádio aborda queda no abate de gado e balanços econômicos de culturas agrícolas

“Não há políticas públicas de retenção dos bovinos; frigoríficos poderiam estar trabalhando na plenitude da capacidade”, diz Sindicarnes-TO

César Halum dá detalhes sobre realização da Agrotins 2020 de forma virtual 

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

Após retração de 3,2% em 2019, Tocantins registra queda de 15% no abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano de 2020

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

IBGE aponta queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano passado

Em três anos, mais de 2 milhões de cabeças de gado “somem” do Tocantins; Estado deixa de arrecadar meio bilhão de reais

Frigoríficos brasileiros abateram 1,019 milhão de bovinos em março; queda é de 47%, aponta Mapa

Recorde de exportações e análise do mercado do boi no Tocantins são destaques do Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM

“Sumiço” de 2 milhões de bovinos, produtividade do milho e técnica para plantio de mandioca são destaques no rádio

Técnica desenvolvida para piscicultura e reabertura do comércio da carne para EUA são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

 

 





Reajuste do ICMS dos frigoríficos vai estourar no produtor e no consumidor, diz presidente do Sindicato Rural de Araguaína

AGROVERDADES: CLIQUE AQUI E ASSISTA O FÓRUM DO AGRONEGÓCIO DO TOCANTINS, EM ARAGUAÍNA

Aumento da alíquota do ICMS para frigoríficos transformará carne do Tocantins na mais cara do Brasil, aponta especialista

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Pecuaristas pedem adiamento por 150 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS para frigoríficos do Estado do Tocantins vai impactar o produtor, afirma pecuarista da região de Araguaína

“Cadeia da carne não se nega a pagar imposto, mas governo não pode virar monstro devorador de indústria”, afirma diretor do SRA

Revogação de benefícios a frigoríficos gera “alto custo” ao setor, impacta no abastecimento e formação de preço, diz juiz

Sem acordo: Governo propõe alíquota de 4,5%, mas frigoríficos querem 1,8%; comissão será criada para estudar o tema 

 








 CLIQUE NOS LINKS ABAIXO E SAIBA MAIS SOBRE O TEMA 

Fator coronavírus: SRA reforça pedido de diálogo com governo e defende redução de impostos para baratear preço da carne

Fieto pede ao governo do Estado suspensão de aumento de ICMS para frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS dos frigoríficos pode gerar “fantasma do desemprego”, alta do preço da carne e desabastecimento, diz SRA

CLIQUE AQUI E VEJA A CÓPIA DO COMUNICADO ENVIADO PELO SRA À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

VEJA NESTE LINK A CÓPIA DA SOLICITAÇÃO DA FAET AO GOVERNO DO TOCANTINS

Produtor pagará a conta, afirma vice-presidente do Sindicato Rural de Araguaína sobre aumento do ICMS para frigoríficos

Pecuaristas pedem adiamento por 120 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Tags:

Comentários

{{c.nome}}
{{c.comentario}}
{{c.dataCriacao}} às {{c.horaCriacao}}

Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário