Criada em 21/04/2020 às 18h28 | Política brasileira

“A quem interessa difamar Tereza Cristina? Estão de olho no seu ministério? Ou são os loucos que não querem negócio com China”

Consultor José Luiz Tejon sai em defesa da ministra da Agricultura: “Muito esquisito a ministra precisar pedir apoio ao presidente da República, para calar a horda vampira virtual (HVV), quando tem sido considerada como fundamental no antes coronavírus e será no depois coronavírus.”

Imagem
José Luiz Tejon: “A ministra Tereza [Cristina, foto] representa confiança e confiança é tudo numa crise. Não mexam com a ministra” (foto: Fábio Pozzebom\Agência Brasil\Divulgação)

  

Em artigo publicado no Canal Rural, o consultor e especialista em marketing do agronegócio José Luiz Tejon, um dos mais respeitados profissionais do setor no Brasil, saiu em defesa da ministra da Agricultura, Tereza Cristiana, que recentemente foi alvo de ataques nas redes sociais. “A quem interessa difamar e atacar a ministra Tereza? Estão de olho no seu ministério? Ou são os loucos que não querem que o Brasil negocie com a China?”, afirmou.

No texto, Tejon citou que a “China,em março, foi responsável pelo crescimento das vendas de carne bovina do país, perante o decréscimo de todos os demais fregueses mundiais”. “China significa 80% da soja exportada do país. De cada 1 dólar que vem dos os Estados Unidos, 3 vem da China, mas como a ministra diz ela está na agricultura acima da política partidária hoje. E o negócio do Brasil é fazer negócio com todos os clientes e, sim, buscar diversificação também. Novos mercados. Não é bom ser sino dependente, mas hoje é o nosso maior cliente”, comentou.

VEJA TAMBÉM 

Opção da China pela soja dos EUA e suspensão de negócios com Brasil pode trazer impactos na liquidez, diz Ricardo Khouri

Brasil vendeu US$ 62,87 bilhões em produtos para a China; já o Tocantins comercializou US$ 627,72 milhões ao país

Para ele, “confiança hoje é o nome do jogo”. “Muito esquisito a ministra precisar pedir apoio ao presidente da República, para calar a horda vampira virtual (HVV), quando tem sido considerada como fundamental no antes coronavírus e será no depois coronavírus. Temos dramas gigantescos para enfrentar”, destacou.

Tejon afirmou ainda que “é hora de Agrosuperação”. “A ministra Tereza representa confiança e confiança é tudo numa crise. Não mexam com a ministra. A comissão de fake news e de bullying virtual, além da polícia precisam investigar quem é, de onde vem esses ataques difamatórios contra a ministra e clientes internacionais do Brasil. Não é preciso ser unanimidade, porém ataques difamatórios é coisa de criminoso mal educado e inimigo do Brasil”, disse.

ENTENDA A POLÊMICA

Tereza Cristina é alvo de bolsonaristas na internet. Motivo: questão ideológica envolvendo a China. Enquanto o deputado Eduardo Bolsonaro e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, fazem provocações contra o maior parceiro comercial do Brasil, um culpando a China pela pandemia, outro usando o personagem de quadrinhos Cebolinha para ironizar os chineses, Tereza Cristina trabalha em sentido oposto: restabelecer pontes. E isso causou reação de internautas.

Além dos ataques virtuais, Tereza Cristina, deputada federal licenciada pelo DEM, poderia ser atingida até mesmo pelas disputas e discordâncias entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também do DEM.

Clique aqui e veja o artigo de Tejon na íntegra

 

Norte Agropecuário no Rádio aborda queda no abate de gado e balanços econômicos de culturas agrícolas

“Não há políticas públicas de retenção dos bovinos; frigoríficos poderiam estar trabalhando na plenitude da capacidade”, diz Sindicarnes-TO

César Halum dá detalhes sobre realização da Agrotins 2020 de forma virtual 

CLIQUE AQUI E CONFIRA TODAS AS EDIÇÕES DO NORTE AGROPECUÁRIO NO RÁDIO  

SAIBA MAIS

Após retração de 3,2% em 2019, Tocantins registra queda de 15% no abate de bovinos no primeiro trimestre deste ano de 2020

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

IBGE aponta queda de 3,2% no abate de bovinos no Estado do Tocantins no ano passado

Em três anos, mais de 2 milhões de cabeças de gado “somem” do Tocantins; Estado deixa de arrecadar meio bilhão de reais

Frigoríficos brasileiros abateram 1,019 milhão de bovinos em março; queda é de 47%, aponta Mapa

Recorde de exportações e análise do mercado do boi no Tocantins são destaques do Norte Agropecuário no Rádio na Jovem FM

“Sumiço” de 2 milhões de bovinos, produtividade do milho e técnica para plantio de mandioca são destaques no rádio

Técnica desenvolvida para piscicultura e reabertura do comércio da carne para EUA são destaques do Norte Agropecuário no Rádio

 





Reajuste do ICMS dos frigoríficos vai estourar no produtor e no consumidor, diz presidente do Sindicato Rural de Araguaína

AGROVERDADES: CLIQUE AQUI E ASSISTA O FÓRUM DO AGRONEGÓCIO DO TOCANTINS, EM ARAGUAÍNA

Aumento da alíquota do ICMS para frigoríficos transformará carne do Tocantins na mais cara do Brasil, aponta especialista

Cadeia produtiva da carne gera mais de 315 mil empregos e faz circular R$ 7 bilhões por ano em todos segmentos do comércio

Pecuaristas pedem adiamento por 150 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS para frigoríficos do Estado do Tocantins vai impactar o produtor, afirma pecuarista da região de Araguaína

“Cadeia da carne não se nega a pagar imposto, mas governo não pode virar monstro devorador de indústria”, afirma diretor do SRA

Revogação de benefícios a frigoríficos gera “alto custo” ao setor, impacta no abastecimento e formação de preço, diz juiz

Sem acordo: Governo propõe alíquota de 4,5%, mas frigoríficos querem 1,8%; comissão será criada para estudar o tema 

 








 

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO E SAIBA MAIS SOBRE O TEMA 

Fator coronavírus: SRA reforça pedido de diálogo com governo e defende redução de impostos para baratear preço da carne

Fieto pede ao governo do Estado suspensão de aumento de ICMS para frigoríficos do Tocantins

Reajuste do ICMS dos frigoríficos pode gerar “fantasma do desemprego”, alta do preço da carne e desabastecimento, diz SRA

CLIQUE AQUI E VEJA A CÓPIA DO COMUNICADO ENVIADO PELO SRA À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

VEJA NESTE LINK A CÓPIA DA SOLICITAÇÃO DA FAET AO GOVERNO DO TOCANTINS

Produtor pagará a conta, afirma vice-presidente do Sindicato Rural de Araguaína sobre aumento do ICMS para frigoríficos

Pecuaristas pedem adiamento por 120 dias do início da vigência do reajuste de alíquota do ICMS dos frigoríficos do Tocantins

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário