Criada em 18/09/2020 às 14h21 | Negócios

China recebe primeira carga de melão produzido no Brasil

Essa é a primeira vez que uma fruta fresca é exportada oficialmente para a China, entretanto, outras já estão em fase de negociação.

Imagem
A China é um grande país consumidor de melões. Em 2017, consumiu aproximadamente 17 milhões de toneladas, quase a metade da produção mundial. (Foto: Divulgação - Abrafrutas)

Após anos de negociação, que resultou em um acordo bilateral, o Brasil realizou o primeiro embarque de melões para a China. A carga chegou na manhã desta sexta-feira (18), no aeroporto de Xangai. Foram cerca de três toneladas e meia de melão pele de sapo, vindas da região Mossoró (RN)

O acordo para viabilizar a exportação do melão brasileiro já havia sido firmado em novembro de 2019, durante reunião bilateral entre os presidentes Jair Bolsonaro e Xi Jinping, na XI Cúpula do BRICS, em Brasília.

Com a chegada da primeira carga da fruta ao território chinês, a ministra da agricultura, Tereza Cristina, destaca a importância da abertura desse mercado, já que o país asiático é o maior produtor e consumidor de melão. “É um marco importante para o Brasil. É a primeira fruta seca importada para China e o primeiro país do mundo a exportar melão para China”, disse.

Em janeiro deste ano, técnicos da Administração Geral de Aduana da China (GACC, órgão responsável pela sanidade vegetal e animal) visitaram fazendas de melão nos maiores estados produtores da fruta, Rio Grande do Norte e Ceará, para inspecionar as plantações nas áreas livres da mosca-da-fruta.

Após a inspeção, o órgão autorizou a exportação do melão brasileiro pela empresa Bollo Brasil, do grupo Bollo International Fruits, associado à Abrafrutas via Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (COEX). Essa é a primeira vez que uma fruta fresca é exportada oficialmente para a China, entretanto, outras já estão em fase de negociação.

A Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) esteve durante os últimos anos junto nas negociações para abertura deste mercado e o atual presidente da Associação, Guilherme Coelho, explica que em parceria com o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) conseguiram dar celeridade nas tratativas e por fim viabilizar a exportação do melão para a China.

“Este é um momento de muita alegria para a fruticultura brasileira, apesar dos chineses serem produtores de melão, são também grandes consumidores e, isso, é muito vantajoso para nós. Vamos trabalhar para nos ajustarmos nas questões logísticas e, assim, exportarmos mais frutas. O melão é uma das frutas que mais gera emprego, ao exportarmos para China crescerá ainda mais este número. Agradecemos a equipe da Abrafrutas e Mapa, em especial, a ministra Tereza Cristina que não mediu esforços para que tudo acontecesse no seu devido tempo “, afirmou o presidente da Abrafrutas.

Para Juan Ricart, diretor-geral da Bollo Brasil, primeira empresa a exportar melão para china diz que é um momento histórico e deve ser comemorado. “Estamos muito felizes. Para nós, o mais gratificante é receber o reconhecimento dos consumidores quando falam da qualidade da nossa fruta. Ser a primeira empresa a exportar melão para a China é um fato histórico”.

A Bollo Brasil é uma das maiores exportadoras de melão do país e está no topo do ranking mundial de comercialização da variedade “Pele de Sapo”. Já o grupo Bollo International Fruits exporta há vários anos para China, onde são reconhecidos como marca de referência de laranjas e tangerinas.

O grupo FTrade Brasil, membro do FF Group (Ftrade, Fermac e Fotallog), empresa também associada à Abrafrutas, esteve à frente junto as questões relacionadas à logística para viabilizar a primeira exportação do melão para o país asiático.

Segundo o COO da Ftrade, Zakaria Benzaama, o principal desafio de todo o processo foi a certificação por parte do governo chinês. “Graças ao trabalho do Ministério da Agricultura, da Abrafrutas e do empenho dos produtores, a certificação saiu, dando ainda mais celeridade aos tramites finais”, disse.

Benzaama afirmou ainda que poder participar desse momento e ver o setor envolvido, abrindo portas para mais uma atuação do agronegócio brasileiro, é muito gratificante. “Vamos juntos a tantos outros produtores levar muitas outras cargas para novos mercados”.

Para que o primeiro embarque fosse realizado, o melão precisou ser vistoriado pelo Ministério da Agricultura na própria fazenda. Uma das medidas tomadas para confirmar que todo o processo foi feito inhouse e com a vistoria do fiscal habilitado pelo governo chinês, foi o uso de lacre do Mapa na embalagem da fruta.

Números

A China é um grande país consumidor de melões. Em 2017, consumiu aproximadamente 17 milhões de toneladas, quase a metade da produção mundial.

Em 2019, o Brasil exportou melão para diversos países, foram mais de 251 mil toneladas. A expectativa agora é que este número dobre caso conquiste no mínimo 1% do mercado chinês. Uma das vantagens do Brasil é que a safra coincide com a entressafra na China. (Da Abrafrutas)

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2020 Norte Agropecuário