Criada em 05/09/2019 às 17h32 | Pecuária

Arroba do boi gordo segue em alta no Tocantins; cotações dos animais de reposição subiram, em média, 1,1% em agosto

O cenário tocantinense segue favorável ao boi gordo. A necessidade de repor estoques e a falta de matéria-prima têm aumentado o ímpeto de compra das indústrias. Escala de abate mais curta que as demais regiões.

Imagem
Escala de abate está mais curta que as demais regiões. (Foto Divulgação Web)

No mercado do boi gordo, o cenário tocantinense segue favorável. A necessidade de repor estoques e a falta de matéria-prima têm aumentado o ímpeto de compra das indústrias. Escala de abate está mais curta que as demais regiões. Além do Tocantins, os estados de Minas Gerais, Goiás e São Paulo também apresentam alta, segundo levantamento feito pela Scot Consultoria na última quinta, 29. 

Em São Paulo os preços tiveram mais um dia de alta e o boi gordo ficou cotado em R$155,50/@, à vista, livre de Funrural. Na praça paulista, ofertas de compras abaixo desta referência são incomuns.

Além disso, no Tocantins, devido à alta quantidade de fêmeas abatidas nos anos anteriores, a oferta de animais jovens está menor no estado. Este cenário, associado à demanda em alta, fez com que os preços dessa categoria decolassem.

Desde agosto passado, o preço do bezerro de ano anelorado de 7,[email protected] aumentou 25,0%, antes cotado em R$1,2 mil, atualmente é negociado ao redor de R$1,5 mil. Já para bezerro desmama anelorado de [email protected], houve valorização de 21% no mesmo período.

Leia mais

Em um ano, cotação do bezerro subiu 25% no Tocantins; valor chega a R$ 1,5 mil para animais jovens de 7,5 arrobas

Reposição

Quanto à reposição, o mercado trabalhou em um compasso mais lento no final de agosto. A calmaria atingiu, principalmente, Tocantins, Goiás e Pará, estados onde os preços subiram bem nas últimas semanas do mês, afastando os recriadores e invernistas das negociações.

Diante desse cenário, as referências ficaram praticamente estáveis na comparação semanal. Na média de todos os estados e categorias aneloradas pesquisadas o ajuste foi de 0,2%.

Entretanto, na comparação mensal, houve valorizações mais intensas, consolidando a retomada do viés altista do mercado de reposição.

Desde o final de julho, na média de todos os estados e categorias aneloradas pesquisadas, as cotações subiram 1,1%.

As cotações firmes e em alta para a arroba do boi gordo ao longo do mês estimularam o giro da fazenda e aqueceram a demanda pela reposição do rebanho.

Desta forma, diante do cenário de pouca oferta, os preços dos animais de reposição ganharam força em agosto. (Com informações Portal do Agronegócio)

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2019 Norte Agropecuário