Criada em 22/08/2017 às 13h51 | Agricultura

Ministério Público Estadual investigará sumiço de tratores de programa que custou R$ 28 milhões aos cofres públicos do TO

Promotor de Justiça em Colinas informou ter aberto inquérito civil público. Já os membros do MPE nas cidades de Goiatins, Nazaré e Piraquê devem fazer o mesmo a partir desta terça-feira, 22.

Imagem
Tratores foram entregues em 2013, na gestão estadual passada, em diversos municípios do Tocantins (foto: SeagroTO/Arquivo)

CRISTIANO MACHADO
DE PALMAS

Um inquérito civil público já foi instaurado e outros três devem ser feitos por promotores de Justiça do Estado para apurar o sumiço de tratores do programa Terra Forte, que custou R$ 28 milhões aos cofres públicos, em 2013. A informação é da assessoria de comunicação do Ministério Público Estadual (MPE).

Conforme o MPE, a promotora de Justiça Thaís Cairo, que atua em Colinas do Tocantins, informou que com base nas notícias veiculadas na imprensa, já determinou a instauração de Inquérito Civil Público. O município é um dos alvos de sindicância aberta pelo governo do Estado para investigar o sumiço dos maquinários agrícolas, conforme revelou o Norte Agropecuário no final de semana. As outras cidades alvos da sindicância assinada pelo secretário da Agricultura, Clemente Barros, foram: Nazaré do Tocantins, Piraquê e Goiatins.

Ainda conforme a assessoria do MPE, em Goiatins, o promotor de Justiça Célem Guimarães informou que não chegou nada na promotoria acerca do caso, mas que diante das notícias que foram publicadas pela imprensa irá instaurar Inquérito Civil Público ainda nesta terça-feira, 22.

Já o promotor de Justiça Celsimar Custódio, com atuação na Comarca de Tocantinópolis, a qual Nazaré do Tocantins pertence, informou que também tomou conhecimento pelo noticiário e que diante dos fatos apresentados irá instaurar Inquérito Civil Público para averiguar a questão.

A promotora de Justiça Priscila Stival, que responde por Wanderlândia, comarca que abrange a Piraquê, informou que ainda não há procedimento instaurado e que tomou conhecido do assunto pela imprensa, mas que aguarda o Estado remeter os documentos e relatórios para averiguar.

QUANTOS SUMIRAM?

O governo do Estado não informou, porém, quantos tratores sumiram. Até o momento o único gestor a se manifestar publicamente sobre o tema foi o ex-prefeito de Colinas, José Santana. Em nota, ele declarou que deixou o maquinário doado pelo governo do Estado em 2013 em bom estado de conservação para a gestão atual.

Lançado em 2013, na gestão de Siqueira Campos (hoje sem partido), o Terra Forte custou R$ 28 milhões e distribuiu a prefeituras, associações e sindicatos rurais 230 tratores, 220 grades aradoras, 226 calcareadeiras, 226 plantadeiras, 106 pulverizadores, 108 roçadeiras e quatro perfuradores de solo.

LEIA MAIS SOBRE O TEMA: 

Seagro abre sindicância para apurar sumiço de tratores de programa que custou R$ 28 milhões aos cofres públicos

Orçado em R$ 28 milhões e alvo de sindicância, “Terra Forte” previa entrega 1.126 equipamentos agrícolas no Tocantins

Ex-prefeito de Colinas afirma ter entregue máquina em 2016 em bom estado de conservação à atual gestão

Tags:

Comentários


Deixe um comentário

Redes Sociais
2017 Norte Agropecuário